Links da semana #13

Depois de ficar fora de casa um tempão, finalmente estou conseguindo colocar as coisas em ordem. Algumas coisas interessantes que vi por aí:

>> Essa coluna é muito acertada: Abaixo ao mito paternalista de que pobre precisa ser apresentado à musica boa. Desce do seu pedestal e deixa a gente curtir o que quiser!

>> Inclusive, uma pausa pra ver a Elsa (Elza?) do Frozen dançando o hit do Carnaval. O Brasil é o melhor país do mundo.

>> Viajar com os amigos é maravilhoso (ou um desastre completo, um dia escrevo sobre isso). Viajar sozinho é essencial, algo que todo mundo deveria fazer uma vez na vida pelo menos. Pra inspirar: 8 lugares perfeitos para viajar sozinho.

>> Na última Black Friday eu comprei um kindle e tem sido maravilhoso. Como ele é prático e superleve, eu carrego pra todo canto e acabo lendo bem mais do que no papel. Daí que a Gabriela, do Teoria Criativa, fez um mega post sobre o kindle, perfeito pra quem tá pensando em comprar um.

 

Beijo, tchau.

Anúncios

Guia de sobrevivência para o carnaval de Olinda

O carnaval de Olinda é tido como o maior carnaval de rua do país. Se isso é verdade não sei, mas reza a lenda que, em 2011, a cidade recebeu 1,8 milhão de pessoas.

Frevo no Carnaval de Olinda em 2011

Meninos, eu vi e posso dizer: isso é gente demais. Se você pretende passar o carnaval lá, aprenda com os meus erros:

1. Olinda é perigosa?

Não, a cidade é bem tranquila. Mas furtos acontecem durante o carnaval, não tem jeito. Pra evitar transtornos, ande só com dinheiro e a cópia do RG (de preferência no bolso). Os furtos que acontecem são de oportunidade: no meio do vuco-vuco (que é onipresente), vem alguém e abre sua bolsa, pegando o que tiver lá dentro.

2. Mas como é o carnaval de Olinda?

Basicamente é um carnaval de marchinhas nordestinas. Inúmeros blocos na rua, que se encontram e se separam, subindo e descendo ladeira.

Além disso, a prefeitura organiza uma série de palcos com uma programação específica. Neste ano, tinha um palco só com apresentações samba, outro com reggae, outro com maracatu…

3. As coisas são caras durante o carnaval?

Para os padrões de São Paulo, não. Pra se ter uma ideia, o latão de cerveja estava saindo a R$2,50 (no máximo) e a água saía por R$ 1 ou R$2.

4. Onde ficar em Olinda?

Nós alugamos uma casa perto do Largo do Amparo. Por ser uma região menos pop (leia-se: mais pobre), o preço saiu bem em conta (R$ 300 por pessoa pelos 5 dias). Mas a vantagem mesmo foi ficar fora do centro da bagunça: assim, foi possível dormir sem os foliões incansáveis (que são muitos) pentelhando.

Se você não pensa em alugar, existem casas que fazem um esquema hostel, com comida e bebida no pacotes (além da hospedagem). Uma casa dessa no foco da folia saía por R$600/pessoa em média.

5. O que levar pra Olinda no carnaval?

A mala não precisa ser grande. Na real, nem deve (prepare-se para subir com ela nas costas, porque é impossível entrar de carro por lá no carnaval).

Leva roupa leve e prática, um par de chinelos e outro de tênis. Não precisa levar calça, nem blusa de frio – o calor é insuportável. Não esquece de por protetor solar na mal, porque lá vai ser difícil de encontrar. E pode exagerar no fator de proteção, porque o sol queima mesmo. Por isso, chapéu, boné e óculos de sol são muito recomendados também.

E não esquece a fantasia!

O carnaval de Olinda

Você não pode dizer que conhece carnaval de rua sem ter ido a Olinda.

Durante os quatro dias de festa a cidade pernambucana respira carnaval. Toda casa vira uma possível hospedaria, toda garagem se transforma em restaurante improvisado. Toda a cidade vai para as ruas, acompanhada por uma multidão de turistas que não se cansam de acompanhar os blocos e troças carnavalescas.

E haja preparo físico! Olinda é feita de ladeiras e elas são passagem obrigatória no percurso dos blocos. Além disso, o calor senegalês da cidade torna a tarefa de acompanhar as troças ainda mais desafiadora.

A bebida é barata (para os padrões paulistas) e a comida é uma pechincha (para padrões mundiais). Para se ter uma ideia, é possível comer a tapioca mais famosa do Brasil (no alto da Sé) com R$3.

As bandas são um show à parte. De marchinhas a sucessos atuais (o do momento foi aquele chiclete do “vou não, quero não, posso não…”), elas são um convite irresistivel para nos fazer entrar no clima de carnaval. E o melhor, de graça.

E o desfile dos bonecos gigantes? Inacreditável!

Eu amo o carnaval do Rio, mas só entender o que é bloco de verdade em Olinda.

(As fotos são do Fernando Brito, o Samba)

Alá lá ô

Já passei da idade de não gostar de carnaval, de achar que sou boa demais pra festa, sabe? Pois bem, sexta-feira já é carnaval.

Pára </português arcaico> de babaquice e vai fazer alguma coisa. Não gosta de samba? Vai atrás do trio. Odeia axé? Arruma uma balada mala de moderninho, sei lá.

Mas não fica no twitter resmungando de quem tá feliz. Vai ser feliz também!

(se tiver no Rio e quiser se divertir, me liga)

Unidas pelo mau-gosto

A turnê nova da Britney (pós surto, pós rehab, pós separação) estreou na terça e eu só consigo pensar em uma coisa:

britney-alinne-rosa

Alinne Rosa, do Cheiro de Amor, deveria pedir sua parte na inspiração para o figurino. Ela usou um modelo parecido e igualmente feio no carnaval de Salvador deste ano.

Ivete wins – FATALITY

(Sim, mais Salvador. Aguenta aí, vai!)

Não sei se existe algum ódio real entre  Ivete Sangalo e Cláudia Leitte, mas que tem comparação, tem. As duas querem ser a musa da Bahia blábláblá.  

Para ganhar a disputa deste carnaval, Ivete resolveu vir de deusa. Acertou porque ficou linda:

ivete-deusas

Aí, a Cláudia Leitte que não faz mais nada além de filho o ano todo decidiu bordar umas miçangas na luva de forno que tinha em casa, colocar um broche no chapéu da 25 e homenagear Porto Seguro.

claudia-leitte-carnaval

Preciso dizer quem ganhou? 

Decepção

Sabe aquelas pessoas que são melhores na teoria do que na prática? Aquelas que você imagina de um jeito e quando vê (ao vivo ou por foto, tato faz) se decepciona? Então, Saulo Fernandes – da Banda Eva – é uma delas.

saulo-fernandes

Precisa do lápis no olho? E do óculos vermelho?? Ai…