O que é essa moda de lowsumerism?

Você também já está cansado desse ritmo de compra-compra-compra que a gente vive? Há algum tempo surgiu o movimento do Lowsumerism, que prega um novo jeito de consumir as coisas.

Resumindo bastante, o Lowsumerism tem como base três atitudes:

  • Pensar antes de comprar
  • Buscar alternativas de consumo com menos impacto na natureza (como trocar, fazer ou consertar)
  • Viver só com o que é necessário

Pra mim, o fundamental dessa ~filosofia~ está no terceiro item da lista. Veja bem: quando se fala em “viver só com o que é necessário”, significa “o que é necessário PARA VOCÊ”. Cada um tem seu estilo de vida, seus valores e suas necessidades. Portanto não existe uma regra de quantos sapatos, carros ou bolsas a pessoa deve ter.

O consumo se tornou um ato muito mecânico nas nossas vidas. Por isso, a chave do Lowsumerism, no fim das contas, é a gente adotar um jeito mais consciente de consumir. Preciso mesmo disso? Vou usar mesmo essa peça de roupa? Vai fazer diferença na minha vida?

Armário cápsula

O armário cápsula é uma tendência que tomou força no ano passado e tem tudo a ver com a ideia do lowsumerism. A ideia é simples: a cada estação, você elege um número X de peças de roupas (30, 35, 40 – daí vai de cada um!) e se propõe a passar os 3 meses só com elas, sem comprar nada novo. Além de ser um exercício de (não) consumo, é uma forma de usar a criatividade para fazer combinações diferentes com as roupas de todo dia.

Pra onde vai a roupa que a gente joga fora?

Quando você joga uma roupa fora, ela vai pro lixo comum, já que não existe um programa de reciclagem/descarte de tecidos no Brasil. Ou seja: esse tecido é um lixo que vai demorar anos e anos e anos para se decompor – se for sintético, então, vish.

“Ah, mas eu mando todas as minhas roupas pra doação.” Uma coisa que o documentário The True Cost (assistam! assistam! assistam!) mostrou é que muitas das doações que são feitas a instituições de caridade acabam sendo vendidas em países como o Haiti (já que nem tudo consegue ser aproveitado no país de origem). Sim, a gente compra (e descarta) tanta coisa que sobram doações.

Vamos parar de doar? Não.
Vamos parar de comprar? Também não.
Vamos usar roupa rasgada só pra não jogar fora? Óbvio que não.

Então o que dá pra fazer?

  • Comprar menos
  • Usar mais (às vezes um conserto rápido resolve e a roupa volta pra vida)
  • Descartar direito (doar para quem você sabe que precisa e jogar fora de forma adequada – existem empresas que podem fazer isso por você)

Se interessou, tem uns links legais pra saber mais: